Login
Paróquia Araputangua
Artigos

INTOLERÂNCIA? Se os Cristãos se calarem as pedras gritarão

Escrito por  gerente  |  Domingo, 19 Julho 2015 00:00 - Última modificação em Quinta, 23 Julho 2015 18:42

O senso comum permite pensar que a intolerância religiosa ocorre longe de nossa realidade e, que ocorra apenas nos países onde os ditadores impõe suas vontades ou em terras onde é negado o direito de professar a fé Cristã, sob pena de morte. Ledo engano! A intolerância ocorre, muitas vezes, pertinho de nós e, diante dos nossos olhos.

Existem pessoas e grupos que, na medida em que podem, atuam de forma anticlerical e, aproveitam-se da oportunidade para manifestar sua intolerância, com muita força.

Enquanto o mundo moderno caminha para o entendimento do ecumenismo (apelo à unidade de todos os povos contido na mensagem do Evangelho), indivíduos e grupos retrógrados, apropriando-se da Palavra de Deus comportam-se, como se donos da Verdade fossem, faltam com a Educação aos sacerdotes e quaisquer outros seguidores da religião Católica (Universal), instituída pelo próprio Cristo, conforme se lê na Bíblia em Mateus 16,18 “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela”.

Cegos pelo orgulho há intolerantes que não sabem compreender o que diz o versículo acima e, se no passado recusaram o primado de Pedro, hoje insistem em rejeitar também, o trecho do versículo “as portas do inferno não prevalecerão”.

Quem entra em combate contra a propagação da Palavra de Deus já perdeu a luta, pois, está dialeticamente condicionado a “viver em círculo”, retornando sempre ao mesmo lugar, isto é, não há saída, pois não há salvação fora da Lei divina. Um fragmento talvez seja suficiente: céus e terra passarão, mas A Palavra, não passará.

A ‘PALAVRA’ GRITA

Se em nossos tempos, há ocasiões em que intolerantes impedem sacerdotes de orar com o povo, A Palavra divina se faz ouvir ainda mais alta; ela ressoa ao tocar a fé depositada em nossos corações e, as pessoas de fé, escandalizadas denunciam cada ato intolerante.

Não importa quem se opõe aos designíos divinos; mesmo elementos que se apropriam do termo “pastor”, ao se opor à verdadeira fé, se defrontarão com as mesmas condições dos fariseus que, na entrada triunfal de Jesus, pediram ao Mestre que calasse aqueles que o aclamavam Rei; a resposta de outrora, invariavelmente é a mesma, se os Cristãos se calarem, as pedras gritarão.

RESPEITO A QUEM PENSA DIFERENTE

Está na moda respeitar a manifestação de fé de todos, mas, nem sempre isso ocorre. Se protestantes demonstraram intolerância ao Padre e ao Monsenhor, na segunda-feira dia 13 de julho, em certa cidade vizinha a Araputanga é sensato considerar tal manifestação, apenas no âmbito da falta de educação de alguns; certamente o conjunto das pessoas irmãs em Cristo deve externar essa irmandade, além de na fé, também na Educação, porque se o Salvador é o mesmo, a missão tem que ser única.

Mais do que nunca, é hora dos Cristãos indiavaienses, demonstrar sensibilidade e unidade na celebração e na partilha do pão. O gesto de Amor deve ser repetido, também, aos intolerantes, para que compreendam melhor o sentido de unidade na fé ao Deus único e verdadeiro; assim a concórdia, o respeito e a paz serão materializados como cimento que leva ao encontro de cada irmão.

Professor  – Sebastião Amorim